quarta-feira, 18 de março de 2015

Pela destruição do socialismo científico



Por Distribuidora Ex Nihilo

Façamos um chamado para a destruição do socialismo científico, dentro das esferas que tem como fim ou objetivo a conquista da emancipação de todas as espécies, com a necessária abolição do estado-capital que nos relega à mera mercadoria ou mão de obra; porque a transformação da instituição estatal que pretende o socialismo científico como ramificações e sub-ramificações relatadas não busca a abolição das relações de autoridade, dominação e poder em que sustenta a existência do estado-capital. Isto é assim porque esta transformação é a aceitação, pela lógica, da autoridade, dominação e poder que exerce o estado, isto é, legitima a existência e suas respectivas práticas entrando no limite feito pelo estado-capital, ao qual é dado pela democracia. O que significa que tendo uma abordagem representacionista ou dirigista, de onde as consciências reformistas relegam suas vidas a iluminadas figuras que estão acima delas, praticando, por consequência, uma relação vertical dada pela hierarquização das relações como também tendo uma abordagem autoritária.
Uma ideologia que pretende a abolição do estado-capital não pode entrar naquilo que que é servido o mesmo para perpetuar, bem como consolidar sua existência. É assim porque os partidos políticos ao serem estritamente burgueses, reproduzem as relações de poder que sustentam as democracia liberais como qualquer outro regime, bem como conceder a validade necessária para que esta respectiva instituição se veja fortalecida com o passar do tempo e com a ascensão da identificação das democracias liberais com a liberdade. Esta posição colaboracionista dada pela resignação dos socialistas científicos deve ser rejeitada e destruída, já que eles buscam a tomada do poder para fortalecer ainda mais, se possível, as instituições estatais, perpetuar a existência da autoridade e da dominação, algo completamente antagônico com os movimentos anti-autoritários que buscam e lutam pela libertação total através da abolição do estado-capital e suas respectivas relações econômicas, políticas e sociais.

Não se pode identificar o socialismo científico com o movimento anti-autoritário libertário, não existe semelhança alguma entre ambos. Enquanto uns fortalecem a existência do estado-capital, outros buscam romper com qualquer raiz que reproduza as relações de dominação e autoridade dadas por ele mesmo. Façamos este chamado para a destruição do socialismo científico como ramificações e sub-ramificações relacionadas porque com a tomada de uma posição colaboracionista dada pelo dirigismo ou representacionismo, ao que legitimam por uma relação de aceitação-submissão, reproduzem as relações de autoridade que pretendemos abolir. Independentemente de que a tomada do poder seja realizada pelo proletariado ou que os meios de produção passem para as mãos do mesmo, a existência da hierarquização da sociedade, da autoridade, da dominação de um sobre o outro, o poder exercido pelo estado-capital e as respectivas instituições repressivas dele não serão abolidas, serão simplesmente reformadas. Dando-lhes um caráter mais socialista e “democrático” para silenciar e atender as exigências das consciências reformistas que vieram a adotar o representacionismo ou dirigismo que sustentam sua servidão salarial e existencial. O fato de que nosso objetivo seja vagamente o mesmo não significa que compartilhamos interesses ou que lutamos pelo mesmo fim ou objetivo. Isto é uma construção falsa já arraigada e espalhada ao longo da história do movimento trabalhista. Falamos de um objetivo vagamente similar porque estes camuflam seu autoritarismo e suas ânsias por poder e dominação sob a transformação da instituição estatal, camuflando a verdadeira realidade com os placebos socialistas frente aos placebos capitalistas que dizem repudiar. 

Nosso objetivo é a libertação total com a destruição da antiga moral que sustenta as sociedades modernas civilizadas. Não buscamos a transformação da sociedade, buscamos sua destruição. De forma que, a partir de suas cinzas ressurja uma sociedade baseada na liberdade, igualdade e solidariedade.

Traduzido por Rodrigo Viana. Para ler o original clique aqui.
 

Ex Nihilo é uma editora e distribuidora de caráter libertária localizada na Espanha para promover o pensamento anarquista.

Veja também:

Nenhum comentário: